24 janeiro, 2013

Minha ambígua relação com o cinema



Embora eu tenha escrito algumas vezes sobre cinema por aqui, não sou cinéfilo. Minhas críticas ao cinema são, em boas medida, efeitos da decepção e do desencanto recorrentes. Portanto, são assumidamentes parciais. É profundamente desestimulante constatar repetidas vezes a mediocridade dos fillmes que aos borbotões chegam aos cinemas às sextas feiras. Ao mesmo tempo, eu sinto profunda incapacidade de compreender o interesse que despertam títulos e/ou diretores que durante tantos anos figuram no altar de críticos e cinéfilos. A grande maioria dos filmes que você, cinéfilo convicto, considera sagrado e intocável, para mim é apenas cansativo, maçante e pretensioso.

Mas isso é apenas amostra e extensão da minha parcialidade. Acontece que, apesar de tudo, o cinema povoa minhas referências, especialmente em sala de aula. A alusão constante parece trair os juízos e opiniões que com frequência emito. Longe de desejar dissolver esse enigma, quero apenas ilustrar sua ocorrência, exemplificando-o por meio de um filme.

Os comentários a seguir podem conter spoilers. Assistam ao filme antes de continuar.

O curta islandês Smáfuglar (Dois pássaros) apresenta de modo convencional uma triste e bem conhecida realidade. Em grande parte de sua duração, ele conseguiu angariar a antipatia que quase naturalmente eu dirijo a todo filme que assisto. Mas seu desfecho o redime! Embora a solução não possa e nem pretenda apagar a tristeza e até a revolta que as situações gradativamente alimentam, ela consegue por certo provocar uma espécie de choque térmico, abrupto e inesperado, que sem dúvida ilustra um aspecto do cinema que misteriosamente me fascina.

2 comentários :

Wagner disse...

Como você não dormiu na metade, chapa? haha
Eu, com certeza, não sou cinéfilo. Você, já começo a acreditar que seja. Afinal, quem não é dorme vendo esse longo curta.
Cinéfilo é um tipo especial de cidadão que é capaz de ver um filme que atenta contra o gosto só pela razão de ter sido dirigido pelo diretor X.

Leonardo Bernardes disse...

É simples, eu PASSO as partes até achar uma que me interesse.. também achei chato. Aliás, como eu disse, só a solução final redime o filme.