06 abril, 2008

A indiferença e a eutanásia


Chantal Sébire sofre de estesioneuroblastomia, uma espécie de câncer

Terra Notícias - Eutanásia: me recuso a aceitar meu estado, diz mulher

Qual é o argumento, eu gostaria de saber, que torna inaceitável a eutanásia? Será da mesma linha que o argumento contra o aborto ou as pesquisas com células-tronco? Por que alguém não pode ser assistido na interrupção de uma doença violenta, incurável e que lhe custa dores e constrangimentos inomináveis? Se um conselho médico decidir que faltam recursos para amenizar a dor ou fazer retroagir os efeitos da doença, qual é o risco que a concessão pode produzir? O apego à vida como um valor absoluto é abominável porque recusa qualquer fundamento e se aferra a uma concepção mística mascarada pelo respeito às leis.

Isso me faz lembrar uma triste e contundente frase de Elie Wiesel que é parâmetro mais seguro para qualquer norma sobre a vida:
O contrário da vida não é a morte, mas a indiferença.

Nenhum comentário :